×
MANIFESTAÇÃO

Professores aprovados em concurso protestam contra prefeito Augusto Ferraz

A classe de trabalhadores reivindica, desde 2021, a convocação de todos os aprovados em concurso público

Foto: arquivo pessoal

Iranduba (AM) – Na tentativa de receberem esclarecimentos do prefeito Augusto Ferraz (DEM), professores e outros profissionais aprovados no último concurso público realizado para a Secretaria de Educação, Esporte e Lazer (Semei), do município de Iranduba, realizaram mais uma manifestação nessa sexta-feira (1), na entrada da Ponte Jornalista Phelippe Daou, que conecta o município a capital amazonense.

A classe de trabalhadores reivindica, desde 2021, a convocação de todos os aprovados no concurso público, realizado por meio do edital nº 02/2020 para o provimento de 211 cargos vagos e cadastro de reserva para professor e auxiliar de serviços gerais. O concurso ocorreu em novembro de 2020 e a homologação do resultado final foi publicada em dezembro do mesmo ano.

Os educadores alegam que possuem inúmeros comprovantes protocolados com os pedidos de reunião com o prefeito Augusto Ferraz. Conforme o professor Jhames Bessa, que compõe a Comissão dos Aprovados e Classificados no concurso, o chefe do executivo se recusa a convocá-los ou dar alguma explicação referente ao não cumprimento do edital.

Foto: arquivo pessoal

“Nós estamos em uma ida e vinda diária. Primeiro tentamos falar com o prefeito Augusto Ferraz, que sempre se recusou a nos receber. Temos inúmeros comprovantes protocolados de pedidos de reunião. Falamos com o primeiro Secretário de Educação de Iranduba, que alegou que o concurso ocorreu de maneira equivocada e que, inclusive, não era para ter sido realizado. Em seguida ele foi exonerado, entrou o novo secretário Altemar Leão e temos tentado negociar, mas, infelizmente, ele não quer mais nos receber. Já fomos na Câmara Municipal e tentamos entrar em contato com os vereadores, que também não fizeram nada”,

reivindicou.

Das 211 vagas oferecidas pelo certame, apenas 130 profissionais foram convocados. Os profissionais aprovados questionam ainda as denúncias de falta de professores em escolas no município, como na Escola Padre Lourenço Benesperi, localizada no distrito de Cacau Pirêra, em que os alunos estavam há dois anos sem um professor da disciplina de história. Os educadores também indicam que alguns dos profissionais estão exercendo a profissão com carga dobrada.

“Sabemos que todos os processos administrativos que tinham já foram exonerados da secretária. Alguns professores, inclusive, só estão esperando a aposentadoria. Recebemos algumas denúncias, por parte dos pais, que tem professor que não ministra a aula. Muitos professores estão também com carga dobrada, dão aula de história e dobram a carga para ministrar geografia, no momento em que temos concurso público vigente. Tem inúmeros casos dos professores de matemática que dão aula de história, professores de educação física que ensinam inglês, ou seja, são essas irregularidades de professores que dão aula de uma disciplina pela qual não são licenciados”,

criticou Jhames Bessa.

O sentimento de desconsideração pela gestão do prefeito Augusto Ferraz vem causando desespero na professora Nilza da Silva. Aprovada na 26ª posição, a educadora considera a situação como uma “humilhação” e ressalta que criou grandes expectativas em relação ao certame, além do investimento financeiro e do longo tempo de estudo.

Foto: arquivo pessoal

“Tive uma expectativa muito grande! Emprestei dinheiro para pagar esse concurso, gastei noites e noites sem dormir direito estudando, fiz investimentos e fui submetida a uma prova, pela qual fui aprovada para agora passar por toda essa humilhação de ir atrás de meus direitos, fazendo manifestações. Ele não nos considera e de todas as manifestações nunca nos recebeu”, ressaltou.

O item 1.6 do edital consta que a administração convocará os candidatos aprovados conforme a quantidades de vagas disponíveis no presente edital e se reserva no direito, enquanto válido o concurso, de convocar outros candidatos para ocupar os cargos vagos, de acordo com a lista de classificação. Para a professora, os governantes não respeitam a soberania do documento.

A profissional da educação pontua ainda que a saúde mental dos professores de Iranduba é afetada pela não efetivação. De acordo com Nilza, os colegas de profissão estão entrando em estado de depressão por se sentirem humilhados e desconsiderados pelo poder público municipal.

“Muitos colegas estão entrando em estado de depressão, estamos tristes e nos sentimos depressivos, humilhados e desconsiderados. É muito triste ter esse sentimento dentro da gente. Estamos nos sentindo um ‘zero a esquerda’. Fora estar dependendo de ser sustentada pelos outros. É humilhante”,

comentou.

Posicionamento

O Em Tempo entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Iranduba. Até o fechamento desta matéria não houve retorno da comunicação do prefeito Augusto Ferraz.

Confira o edital:

Leia mais:

População de Iranduba critica nomeação de Augusto Ferraz como presidente do Nacional FC

Prefeito Augusto Ferraz fecha contratos milionários em Iranduba

Mesmo com denúncia de abuso de poder, Ferraz segue como prefeito de Iranduba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.