×
Curso

FVS-RCP participa do curso de erradicação da malária nos EUA

O objetivo é promover pautas relacionadas à malária, incluindo biologia do vetor, epidemiologia e novas estratégias da Organização Mundial da Saúde

curso de erradicação da malária
Evento ocorre nos Estados Unidos – Divulgação/FVS-RCP | Elder Figueira/FVS-RCP

Boston (EUA) – A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), participa, até esta sexta-feira (24), do curso Ciência da Erradicação: Malária – desenvolvimento de liderança, realizado pela Universidade de Harvard, em Boston, Estados Unidos.

O curso de erradicação da malária é organizado em parceria com o Instituto de Saúde Global de Barcelona (ISGlobal) e o Instituto Tropical de Saúde Pública da Suíça (Swiss TPH).

O objetivo é promover pautas relacionadas à malária, incluindo biologia do vetor, epidemiologia, novas estratégias da Organização Mundial da Saúde (OMS) para controle da malária, inovações no tratamento, desenvolvimento de vacinas, dentre outros temas, visando a erradicação da doença.

Segundo a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, o encontro realizado nos Estados Unidos é uma oportunidade de interação entre o Amazonas e várias instituições de pesquisa e programas de controle da malária no mundo.

Na troca de experiências, temos a possibilidade de fortalecer uma rede internacional para o desenvolvimento de estratégias que podem ajudar na diminuição da malária, tornando mais rápido o objetivo maior que é a eliminação da malária no Amazonas, junto ao plano nacional de eliminação da doença”, destaca Tatyana.

O chefe do Departamento de Vigilância Ambiental da FVS-RCP, Elder Figueira, participante do curso de erradicação da malária realizado nos Estados Unidos, destaca que o evento é a oportunidade de o Amazonas entrar em contato presencialmente com as estratégias mundiais de combate e controle, além da eliminação da doença.

Atualmente o Amazonas concentra aproximadamente 40% das notificações de malária do Brasil. Durante a semana, discutimos diversos temas relacionados à eliminação da malária, ouvindo países que tiveram sucesso na eliminação da doença e os que ainda estão na fase de controle, além de discussão sobre estratégias inovadoras, considerando todos os aspectos e dificuldades de cada país”, destaca Elder.

*Com informações da Agência Amazonas

Edição Web: Bruna Oliveira

Leia mais:

Poliomielite ainda preocupa médicos

App de combate a malária completa seis anos e ganha atualizações

Fiocruz e Harvard explicam em estudo inflamação excessiva da covid-19

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.