Fonte: OpenWeather

    Divulgação


    Manaus e Nápoles discutem sobre projeto de cooperação global

    No Brasil, participam, além de Manaus, Fortaleza (CE) e Belo Horizonte (MG), e a região do Paraná

    Nápoles passou por algumas reestruturações, com foco no alinhamento entre área urbana contemporânea | Foto: Divulgação

    MANAUS (AM) - A reabilitação de espaços urbanos da capital do Amazonas será um dos temas principais da primeira reunião entre membros de Nápoles, na Itália, e da Prefeitura de Manaus, dentro do programa Cooperação Urbana e Regional Internacional (Iurc), que acontece nesta terça-feira (5), por videoconferência. A Prefeitura de Manaus, via Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), participou do lançamento oficial da cooperação entre cidades do mundo e a União Europeia, em evento on-line na semana passada.

    Na América Latina são seis países participantes, incluindo 12 cidades e dez regiões. No Brasil, participam, além de Manaus, Fortaleza (CE) e Belo Horizonte (MG), e a região do Paraná. Em termos globais, são 36 países e 138 cidades envolvidas no programa internacional.

    Nesta terça, a Prefeitura de Manaus fará uma apresentação de 20 minutos, falando um pouco da capital e área geográfica, população, topografia, urbanismo e descrições culturais, além dos principais desafios para o desenvolvimento urbano sustentável. A cidade também apresentará quais áreas temas dentro do Iurc são as que mais se conectam na cooperação, além de poder exibir projetos-pilotos relevantes.

    Manaus vai delimitar temas de atuação urbanística, vulnerabilidade social e de transformação, com foco na renovação do tecido urbano, meio ambiente e sustentabilidade, potencialização de economias na região central da capital amazonense e as ligações com a água, desde o recurso natural até ações na zona portuária.

    “Nápoles pode contribuir muito porque tem uma configuração de centro antigo e de centro histórico, com aprofundados estudos e grupos de trabalho focados no plano diretor da cidade no sul da Itália, que combina belezas naturais, como o azul do mar Tirreno e o vulcão Vesúvio, e toda uma importância de patrimônio”, disse o vice-presidente do Implurb, arquiteto e urbanista Claudemir Andrade, membro da comissão Manaus.

    Nápoles passou por algumas reestruturações, com foco no alinhamento entre área urbana contemporânea, antiga e histórica, criando mais relações de convivência de espaços, principalmente os próximos à água, como o mar Tirreno. O Centro Histórico de Nápoles é inscrito na Lista do Patrimônio Mundial da Unesco e é um dos maiores e mais antigos da Europa.

    Com similaridades como um centro histórico vivo, não musealizado, necessidades de restauros arquitetônicos, conservação, substituição de edificação, criação de espaços livres, os chamados “standards urbanísticos”, entre outros, Nápoles e Manaus vão desenvolver uma abordagem produtiva e para transformar os bens econômicos, culturais e patrimoniais, sem perder valores peculiares, em uma utilidade maior social.

    Fortaleza terá como cidade-membro na Europa Essen, na Alemanha, e a mineira Belo Horizonte terá Milão, também na Itália. A região do Paraná fará cooperação com a região na Polônia.

     Programa

    A etapa que se inicia visa liderar e desenvolver a cooperação urbana e regional internacional, para o desenvolvimento urbano sustentável e da inovação, em uma grande rede global de referência. Manaus é uma das cidades do Brasil selecionadas para integrar a segunda fase do programa internacional da Comissão Europeia. Não há custo para participar das ações internacionais e o financiamento das atividades é feito pela União Europeia.

    O Programa Internacional de Cooperação Urbana (Iurc) é um projeto global que apoia cidades de diferentes regiões para conectar e compartilhar soluções para desafios comuns no desenvolvimento urbano sustentável, no âmbito da nova agenda urbana e no combate às mudanças climáticas.

    Dentro do Iurc, a capital amazonense poderá desenvolver parcerias com temáticas urbanas de acordo com as suas prioridades, especificidades e demandas locais, com prazo de 24 meses de cooperação.

    Apoio

    Conforme o projeto, as cidades escolhidas para o Iurc receberão apoio para planejar, projetar, diagnosticar, criar soluções e gerir práticas urbanas com desenvolvimento de planos de ações locais e projetos-pilotos para alcançar resultados.

    Uma plataforma de troca de conhecimento será estabelecida com recursos e melhores práticas sobre superação de barreiras específicas no urbanismo.

    A equipe participante de Manaus é composta pelo diretor-presidente da autarquia, engenheiro Carlos Valente; pelo vice-presidente, arquiteto e urbanista Claudemir Andrade; pelo diretor de Planejamento Urbano (DPLA), arquiteto e urbanista Pedro Paulo Cordeiro; o coordenador de projetos, arquiteto Leonardo Normando, e as arquitetas Luiza Lacerda e Rejane Gaston.

    Leia Mais

    AM discute com Alemanha cooperação para combater desmatamento

    *Com informações da assessoria