Fonte: OpenWeather

    ARTIGO


    Setembro amarelo: prevenir o suicídio na idade tardia

    ARTIGO - Euler Ribeiro: "Muitas pessoas apresentam problemas mentais e não buscam ajuda por medo ou preconceito com a própria condição e na terceira idade o quadro ainda é mais grave"

    Escrito por Euler Ribeiro no dia 21 de setembro de 2021 - 20:09
    | Foto: Divulgação

    O suicídio ainda é um tabu a ser quebrado em nossa sociedade, por este motivo, órgãos de saúde dedicam o mês de setembro para campanhas de prevenção e informações sobre o suicídio. Muitas pessoas apresentam problemas mentais e não buscam ajuda por medo ou preconceito com a própria condição e na terceira idade o quadro ainda é mais grave, pois os idosos fazem parte de uma geração que não tinham acesso à rede de saúde mental, consequentemente temos hoje os dados preocupantes de altas taxas suicídios em pessoas com 70 anos ou mais.

    Segundo o relatório global para prevenção do suicídio da Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio na terceira idade ao nível mundial chega a7,7 casos por 100 mil habitantes, acima de 60 anos e 8,9 acima de 70 anos. Aqui no Brasil não é diferente e o aumento da expectativa de vida infelizmente não vem acompanhado de qualidade de vida, muitos idosos apresentam graves problemas de saúde física e mental e na pandemia este número só cresce com o isolamento e medo da morte sofrido por parte da população.

    As causas que levam o idoso a cometer tal ato vão desde o abandono familiar, a falta de dinheiro para uma aposentadoria digna, doenças incapacitantes que desmotivam a vida diária, violências físicas, psicológicas, sexuais e financeiras causadas por pessoas próximas e as próprias doenças mentais como ansiedade e depressão que requer conhecimento e acesso para busca adequada de tratamentos na rede pública e até privada. Daí a importância de descobrir precocemente os riscos deste comportamento, para contarmos com a reintegração do idoso na família e na sociedade.

    A vulnerabilidade da terceira idade também pode ser responsável por estas atitudes contra a vida tomada por muitos idosos. Pouco a pouco o idoso sente que está perdendo a capacidade de autonomia, independência e pensamentos de inutilidade e tristeza passam a virar rotina.

    O que podemos fazer para ajudar o idoso nesta condição?  Primeiramente ser percebido e acolhido pela família, qualquer mudança brusca de comportamento deve ser observada e avaliada, afirmações de morte, tristeza profunda, choro, podem ser indícios que algo não está bem. Em quadros avançados os idosos buscam o suicídio lento e gradual deixando de se alimentar e tomando medicações aleatórios.

    Fique atento e busque ajuda profissional quanto antes. Vale a pena estimular momentos de prazer na família com muito lazer, inserir os idosos nas atividades em grupo e participação em eventos. Procurar saber o que aquele idosos gosta é essencial para ocupá-lo durante todo o seu dia e sua mente de maneira positiva.

    Caso seja você que está passando por isso, fale, converse e busque ajuda, o pensamento é apenas para aliviar o sofrimento, entre em contato as com redes de atendimento psicológico disponíveis, temos o disk 188 (Centro de Valorização da Vida), o Governo do Estado do Amazonas também oferece atendimento gratuito por meio do telefone  (92) 99258-1056 e os idosos também podem receber ajuda no TeleSaúde da Fundação Universidade Aberta da Terceira Idade – FUnATI basta enviar uma mensagem para o nosso canal de atendimento via WhastApp (92) 98431-2601.

    Leia mais:

    Os cuidados com a pele de idosos

    Síndromes geriátricas em idosos

    O que é a doença do refluxo? Saiba mais com Dr. Euler Ribeiro

    Articulistas

    Comentários