×
Esporte

Atletas da academia White House conquistam 12 medalhas no Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu

Os atletas da academia White House School Jiu-Jitsu, garantiram medalhas de ouro, prata e bronze para o Amazonas

Foto: Reprodução/ AET

Manaus (AM) – No último Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu que iniciou no dia 6 e terminou no dia 15 de maio, doze atletas das categorias pré-mirim, mirim, infantil, infanto-juvenil e juvenil, da academia White House School Jiu-Jitsu, garantiram medalhas de ouro, prata e bronze para o Amazonas. A Disputa ocorreu no Ginásio José Corrêa, em Barueri, em São Paulo.

Meses de preparação foram essenciais para fazer dos atletas mirins conquistarem um lugar no pódio e trazer as medalhas junto com a experiência para casa. Além disso o sonho de se tornarem campeões mundiais de Jiu-Jitsu. Disciplina, perseverança, garra e marra, foram os principais itens que fizeram os pequenos atletas se consagrarem nas disputas.

Foram atletas de diversas regiões brasileiras, que disputaram o campeonato organizado pela Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu. O Diretor Técnico e professor da academia White House School, Alcenor Alves, contou que a academia garantiu seis medalhas de ouro, três de prata e três de bronze nas disputas. Além disso, ele explicou que para definir o grupo de atletas que disputam campeonatos, é feito uma preparação intensa.

“A gente primeiro começa com trabalho de coordenação motora, depois vem a aparte lúdica, e depois, de acordo com a evolução de cada aluno a gente vai começando a incluir movimentos mais avançados com as técnicas do Jiu-jitsu. A partir disso surge um grupo com os atletas que desenvolve melhor a técnica e o que a gente ver é isso, a garotada toda dentro do padrão sabendo executar o que foi ensinado onde posteriormente agente faz uma cobrança mais intensa, tornando eles preparados para as disputas. A ideia é torna-los campeões mundiais”, explicou o professor.

Apoio da família

O sócio proprietário e professor Diogo Dutra, falou da importância do apoio dos familiares dos atletas que foram para a disputa. Sem patrocínio público, os pais dos pequenos campeões custearam passagens, estadias e despesas pessoais. Além disso, o professor falou sobre os resultados positivos que a academia junto com seus atletas trouxe para o estado.

“Como foi uma competição muito esperada, nós mobilizamos os pais mobilizamos os nossos alunos, e todos treinaram bastante. Os pais se empenharam para poder “paitrocinar” os aletas e levá-los para essa grande competição de Jiu-Jitsu, da CBJJ, que é a principal entidade brasileira do esporte. Tivemos resultados bastante expressivos que ajudaram colocar o Amazonas mais uma vez no topo do Jiu-Jitsu esportivo que tem no nosso país. Para nós é uma honra e satisfação”

Projeto Casa Branca

O projeto Casa Branca que tem parceria com a academia teve um representante, o atleta Luiz Henrique, de 12 anos que garantiu medalha de ouro.

“Nós temos também o anexo, que é o projeto Casa Branca que fica no Nova Cidade, no Instituto Bindá, então nós mobilizamos algumas crianças que queriam participar e de quinze atletas nós conseguimos levar um que é o Luiz Henrique, para representar o Amazonas na sua categoria, inclusive ele foi campeão. Tenho certeza se conseguíssemos levar mais, teríamos outros resultados também. Isso foi muito importante pois estimulou mais as crianças a alcançar bons resultados”, finalizou.

Promessa do jiu-jitsu amazonense

Com um talento impressionante, Ricardo Yoshito, de 14 anos, é a grande promessa para o futuro do jiu-jitsu amazonense. Campeão de mundiais, o lutador revela ao Em Tempo, a trajetória vencedora mesmo tão jovem. Desde os cinco anos de idade nas artes marciais, Ricardo revela que tudo começou no judô com um incentivo dos pais.

Ainda na modalidade, a jovem promessa amazonense tinha o grande desejo de ver o pai, o médico Ricardo Amaral, lutar ao seu lado, já que antes do nascimento do filho, ele tinha uma carreira no jiu-jitsu. Na época, Amaral estava acima do peso, e ao receber o pedido do único filho de retornar ao tatame, decidiu atender e levou o pequeno Ricardo Yoshito para o mundo do jiu-jitsu.

“Eu comecei aos 5 anos no Judô e com o tempo eu migrei para o jiu-jitsu, porque o meu pai já praticava esse esporte, então, eu tinha uma curiosidade muito forte de ver ele no tatame, então incentivei ele a voltar”, contou o atleta.

Lado a lado, os dois construíram uma trajetória no esporte. Enquanto o pai se tornava o principal incentivador e professor do jovem, ao mesmo tempo que recuperava a boa saúde física, Yoshito se tornou uma máquina de vencer lutas.

“Foi maravilhoso esse retorno. Você ver uma criança ter o entendimento que o pai estava em um momento de obesidade e por ter tido essa história no jiu-jitsu, ele me convenceu a retornar ao esporte e perder todos esses quilos, eu pesava 120 kgs”, falou o pai.

Com uma rotina de treinos intensa, pai e filho conciliam as atividades rotineiras com os treinos. Ricardo Amaral é Médico de família e comunidade, além de exercer a especialidade de medicina de exercício e esporte. Já o jovem lutador, concilia o jiu-jitsu com os estudos, que acontecem durante o período vespertino.

“A minha rotina de treino é muito intensa. Faço cinco treinos por dia, acordo 5 horas da manhã, dessa mesma forma conciliando com a escola, é uma rotina sem parar, muito corrida e graças a deus a gente consegue conciliar da melhor forma”, conta Yoshito.

Devido ao retorno para o esporte, Amaral fundou a White House School Brazilian Jiu-Jítsu, que fica localizada na avenida José de Arimateia, 1558, Morada do Sol, por onde Yoshito treina e representa a escola em competições.

Competições marcantes

Para se ter uma ideia do talento do jovem Ricardo, no Campeonato Amazonense de Jiu-Jitsu, em abril, o lutador foi o grande vencedor de uma luta após finaliza-la em incríveis seis segundos. Sobre a disputa, Ricardo conta que o resultado é consequência da qualidade e frequência dos treinos. Com uma atitude do adversário, Yoshito aproveitou a oportunidade e finalizou, rapidamente, o duelo.

“Não foge nada dos nossos treinos porque a gente treina muito para chegar no campeonato e fazer um show. E quando eu vejo uma oportunidade, eu não perco. Nesse caso, ele me deu uma finalização rápida e eu agarrei essa oportunidade e acabei a luta bem rápido”. 

No último dia 15 de maio, o atleta participou de quatro lutas durante o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu e foi vencedor de todas, se consagrando mais uma vez no primeiro lugar do pódio.

“O Campeonato Brasileiro de Jiu-jitsu é muito grande e foram quatro lutas duríssimas, mas me consagrei campeão e foi uma experiência muito boa, eu veio treinando há muito tempo, várias vezes ao dia, então, foi muito emocionante ganhar e participar desse campeonato enorme”, revelou o lutador.

Apesar de serem competições impressionantes e importantes para sua trajetória, o campeonato que mais lhe marcou foi o Mundial da Juventude, em Abu Dhabi. O campeonato organizado pelos sheiks árabes reuniu as promessas do esporte das mais diferentes nacionalidades. E o atleta Ricardo Yoshito se consagrou campeão na sua categoria.

Veja o vídeo da matéria

Leia mais:

Jiu-jitsu: atletas amazonenses são destaque em Campeonato Brasileiro 2022

Jiu-jitsu amazonense é destaque no Campeonato Brasileiro

Lutador Luis Neto vence duelo no Jungle Classic Jiu-Jitsu

Acompanhe a página do EM TEMPO no Facebook

Texto: Luana Lima com a colaboração de Bianca Fatim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.