×
Contexto

Bolsonaro pode decretar estado de calamidade pública no país

A última vez que Bolsonaro decretou calamidade foi em 4 de maio de 2020 devido à pandemia da Covid-19

De acordo com o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, o presidente Jair Bolsonaro (PL) poderá decretar estado de calamidade pública no país a qualquer momento.

À CNN Brasil Ciro disse que o decreto deverá ser editado se a atual situação de crise perdurar em consequência, dentre outros fatores, da guerra entre Rússia e Ucrânia que provocou a alta dos combustíveis no mundo inteiro e que no Brasil aumentou a fome.

A última vez que Bolsonaro decretou calamidade foi em 4 de maio de 2020 devido à pandemia da Covid-19. Em 2020, a meta fiscal previa um déficit de R$ 124,1 bilhões. Mas, sob a pressão dos gastos com a pandemia, o déficit ficou em R$ 743,1 bilhões, conforme o Ministério da Economia.

Garimpos na mira

Em entrevista à rádio CBN Nacional, ontem, o arcebispo de Manaus, Dom Leonardo Ulrich Steiner, escolhido pelo Para Francisco como novo cardeal da Amazônia brasileira, acusou os garimpos de destruírem a floresta, atingindo, sobretudo, as terras indígenas.

“As terras indígenas estão sendo invadidas pelo garimpo, e o garimpo tem levado a poluição às nossas águas”, criticou o arcebispo, para quem essa prática ilegal de extração de ouro, além de degradar o meio ambiente, prejudica as comunidades ribeirinhas e afeta o modo de vida dos povos indígenas.

“O grave nisso tudo é que não se olha para os ribeirinhos, para os povos indígenas. Apenas se pensa no grupo do ouro, do dinheiro. A mentalidade que está por detrás disso é grave, é uma mentalidade destruidora, que não se importa com a pessoa do outro”, afirmou o líder religioso.

Passagens escorchantes

Sem ligar para uma grande onda de protestos que se formou em Manaus e em Parintins, a companhia Azul resolveu elevar, ao seu bel prazer, os preços das passagens aéreas para quem quiser assistir ao festival folclórico da Ilha do Boi Bumbá, previsto para os dias 24, 25 e 26 de junho.

O bilhete de ida (Manaus/Parintins) está custando R$ 3.317,83 e o de volta, R$ 3.252,83, perfazendo um total de R$ 6.620,7 para quem tiver coragem de encarar os preços escorchantes.

Políticos protestam

Em março deste ano, o presidente da Assembleia Legislativa (Aleam), deputado Roberto Cidade (UB), denunciou os preços estratosféricos das passagens áreas no percurso Manaus/Parintins.

A três semanas do início do festival, vereadores parintinenses apelam para que a Defensoria Pública do Amazonas (DPE/AM) adote medidas drásticas e urgentes que obriguem a Azul a reconsiderar os seus preços salgados.

Turistas desistem

Em mensagens pelo Whatsapp, vários internautas dizem que desistiram de ir a Parintins ver o festival de Garantido e Caprichoso por causa das passagens absurdas.

Além das passagens, eles alegam que ainda teriam que encarar as altas despesas com hospedagem e alimentação. “Desse jeito, não há turista que aguente”, escreveu um deles à coluna.

Auxílio Enchente

O cartão Auxílio Estadual Enchente já está disponível para 40 mil famílias do Amazonas que sofrem os impactos da cheia dos rios.

O benefício social está incluído no pacote de ações para enfrentar a subida das águas e, nesse momento, está em fase de distribuição em 12 municípios que decretaram situação de emergência.

Biossegurança

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim, inaugura hoje, em Manaus, a área de experimentação animal com Nível de Biossegurança 3 no Inpa.

A infraestrutura integra o Laboratório Temático Biotério Central do Instituto e será usada para a pesquisa com manipulação de micro-organismos altamente patogênicos para o enfrentamento de viroses emergentes como a Covid-19.

A infraestrutura, no valor de R$ 2.864.200,00, foi construída com investimento da Finep/MCTI, por meio de chamada pública lançada em julho de 2020.

Toffoli Cidadão

Nesta sexta-feira, a Assembleia Legislativa realiza Sessão Especial, a partir das 10hs, no Plenário Ruy Araújo, para outorgar o Título de Cidadão do Amazonas ao ministro José Antonio Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal.

A homenagem é uma iniciativa do deputado estadual Belarmino Lins (Progressistas).

Falso leilão

Criminosos estão utilizando a imagem do diretor técnico do Detran-AM para aplicar o golpe da venda de veículos por falso leilão e de facilitação para obtenção de Carteira de Habilitação. Não é a primeira vez que acontece esse tipo de crime.

Com a mudança na direção do Detran, os criminosos atualizaram o golpe e criaram um perfil falso no Facebook e no WhatsApp com a imagem do diretor técnico David Fernandes, apresentando-o como diretor-presidente.

“As pessoas só caem no golpe porque tentam se beneficiar de forma errada. O Detran tem o leilão, que é publicado no site do órgão, onde possui todas as explicações. Não tem ninguém do departamento vendendo habilitação, moto ou qualquer coisa”, diz Fernandes.

Mega investimentos

Hoje em Iranduba, o governador Wilson Lima (UB) vai anunciar um pacote de investimentos da ordem de R$ 44,2 milhões para novos projetos de infraestrutura, segurança pública e educação.

No Centro Educacional de Tempo Integral (Ceti) Professora Maria Izabel Desterro e Silva, localizado no KM 01 da Rodovia Carlos Braga, o governador também entregará R$ 800 mil em implementos para produtores da agricultura familiar.

Wilson também destacará a concessão de R$ 777 mil em operações de crédito da Afeam e a liberação de R$ 1,2 milhão em recursos para organizações do setor primário.

Queda de braço

Movimento de governadores pressiona para que o Congresso estabeleça uma conta de compensação, com recursos da Petrobras, para reparar a perda de receita com a queda do ICMS.

A proposta consta em substitutivo de secretários de Fazenda ao projeto de lei que limita a 17% o imposto sobre combustíveis, energia elétrica, comunicações e transporte público.

“Um desastre”

De acordo com o deputado Serafim Corrêa (PSB), se a nova alíquota máxima do ICMS for aprovada com o limite de 17%, “será um desastre” para estados e municípios, com maior impacto no setor educacional.

O impacto será de R$ 19 bilhões a R$ 21 bilhões, afirma o parlamentar. “Já imaginaram o que vai representar tirar R$ 21 bilhões da educação básica, tirar de estados e municípios, para subsidiar o preço da gasolina e do diesel? Isso será um desastre”, sustenta Serafim.

Feira de Negócios

Acontece nesta sexta-feira a primeira edição da Feira de Negócios e Oportunidades “The Week”, promovida pela empresa Million Produções e Eventos em parceria com o Sebrae e a Amazonastur.

O evento, que se encerrará no domingo (05), ocorrerá no Centro de Convenções Vasco Vasques, na Avenida Constantino Nery, e terá entrada gratuita.

A Feira reunirá 130 expositores de diversos segmentos da economia e a expectativa é que receba aproximadamente 40 mil visitantes.

PEC dos professores

Uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), de autoria do deputado federal Capitão Alberto Neto (PL-AM), pode alterar o art. 37, da Constituição e permitir a acumulação remunerada de um cargo de professor com outro de qualquer natureza.

Na prática, um professor, no exercício regular da docência, poderá ocupar qualquer outro cargo desde que haja compatibilidade com sua carga horária.

Neto pressiona para que a PEC seja votada em plenário antes do recesso legislativo de julho.

Leia mais:

Bolsonaro alega falta de interesse público para vetar PL que altera nome do ‘Dia do Índio’

Educação esquecida

A hora das mulheres

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.